Oito mulheres são destaque na feira do LIVRO DE CANOAS

Por Nerd Start
Em Livros
jun 13th, 2016
0 Comentários
319 Views

Feira do Livro de Canoas-1Oito autoras, de diferentes estilos e idades, estão representando a poesia, o romance, a crônica e outros escritos na Feira do Livro de Canoas, que tem início em 25 de junho e vai até 9 de julho na Praça da Bandeira e no Largo da Praça. A homenagem às mulheres está presente do começo ao fim do evento, literalmente.

A valorização da escrita feminina em Canoas começa pela patrona, Maria Rigo, de 80 anos, segue com Martha Medeiros como homenageada, e encerra com as composições e o canto de Maria Bethânia. Na rota feminina da literatura haverá ainda a análise sensata e clássica de Lya Luft e escritoras que ainda estão construindo sua estrada, como a jovem Luisa Geisler. O foco feminino ainda tem a contemporaneidade de Paula Taitelbaum, o texto e a boa prosa de Ana Mariano e o lançamento de Tania Faillace, Beco da Velha.

Indiretamente, outras duas figuras femininas estão incluídas nesse cenário de escritoras, romances e livros. Uma delas imaginária, Dona Flor e Seus Dois Maridos (apresentação teatral, no Teatro do Sesc, durante o evento), e com Clarice Lispector (com o espetáculo de dança do grupo Geda, Não Me Toque, Estou Cheia de Lágrimas, inspirado na vida e na obra da escritora).

MARIA RIGO

Dia 25 de junho, às 18h

Na abertura da Feira do Livro de Canoas

Dia 2 de julho, das 14h às 18h

No 7o encontro da Casa dos Poetas do Brasil no Auditório da Praça da Bandeira

Maria Rigo é formada em Teologia e atualmente, aos 80 anos, é acadêmica de Letras no Unilasalle. Reconhecida pelo trabalho junto à Casa do Poeta (que em 2002 ajudou a fundar e onde é presidente de honra), é uma ativa incentivadora da leitura. Mediadora do Programa Cidadania e Leitura do Proler na cidade, ajudou dezenas de moradores a estrearem na carreira e lançarem seus primeiros escritos. Se empenhou em publicar coletâneas com escritores locais, muitos inéditos, e movimentar o cenário das letras no município com saraus, encontros e caravanas culturais.­­­ Entre outras atividades, é cônsul em Canoas dos Poetas Del Mundo, sócia da Casa do Poeta Riograndense e Casa do Poeta Latinoamericana. 

LYA LUFT

Dia 27 de junho, às 19h30

Palestra com mediação de Carlos André Moreira no Auditório da Praça da Bandeira

Lya Luft Nasceu em Santa Cruz do Sul, onde a maioria das crianças falava alemão. Depois estudou em Porto Alegre, onde se formou em pedagogia e letras anglo-germânicas. Traduziu para o português mais de cem livros, incluindo obras de Virginia Wolf, Reiner Maria Rilke, Hermann Hesse, Doris Lessing, Günter Grass e Thomas Mann. Seus primeiros poemas foram reunidos no livro Canções de Limiar (1964). Em 1972, lançou o livro de poemas Flauta Doce. Em 1976, escreveu alguns contos e enviou para Pedro Paulo Sena Madureira, que era então editor da Nova Fronteira. A ficção entrou em sua vida dois anos depois de um acidente automobilístico quase fatal em 1979. Como se sentiu próxima da morte, diz a autora que começou a fazer tudo que evitava. Primeiro foi o lançamento de As Parceiras, em 1980, e depois A Asa Esquerda do Anjo, em 1981. Em 1982, publicou Reunião de Família e, em 1984, outros dois livros: O Quarto Fechado (lançado nos EUA sob o título The Island of the Dead) e Mulher no Palco. Em 1987, lançou Exílio; em 1989, o livro de poemas O Lado Fatal, e em 1996, o premiado O Rio do Meio (ensaios). Em 1997, em Secreta Mirada, discorreu sobre temas como a vida, a morte, o medo da perda, o amor e a maturidade. Em 1999, a escritora lançou o livro O Ponto Cego. No ano 2000, Mar de dentro e Histórias do tempo e, em 2003, tornou-se uma best-seller com Perdas e ganhos. Em 2008, publicou O Silêncio dos Amantes, volume de contos. 

PAULA TAITELBAUM

Dia 28 de junho, às 9h

Palestra sobre o livro Bichológicos no Auditório da Praça da Bandeira

Paula Taitelbaum é um bicho chamado escritor, que se alimenta de palavras. Mas que de vez em quando se transforma em uma outra espécie, conhecida como ilustradora, do tipo que cria as imagens que acompanham as histórias. Suas ilustrações são sempre feitas com colagens porque Paula sabe recortar e colar melhor do que desenhar. Para crianças, além de Bichológicos, ela também escreveu o livro Palavra vai, palavra vem. Em que país Paula mora? No Brasil, em Porto Alegre, com sua família e mais uma bela gata viralata, é lógico.   

MARTHA MEDEIROS

Dia 28 de junho, às 19h

Palestra com mediação de Luciano Alabarse no Auditório da Praça da Bandeira

Martha Medeiros nasceu em Porto Alegre no dia 20 de agosto de 1961. É formada em Comunicação Social. Fez sua carreira na área de publicidade e propaganda. Trabalhou em agências de propaganda nos setores de criação e redação. Em 1985, publicou seu primeiro livro de poesias, Strip-Tease. Depois, lançou Meia Noite e Um Quarto (1987) e Persona Non Grata (1991). Em 1993, abandonando a carreira publicitária, mudou-se para o Chile, onde permaneceu por nove meses se dedicando à poesia. Entre outros livros, também publicou: De Cara Lavada (1995), Geração Bivolt (1995), seu primeiro livro de crônicas, Santiago do Chile (1996), Topless (1997) que recebeu o Prêmio Açorianos de Literatura, e Trem Bala (1997), que foi adaptado para o teatro. Seu romance Divã (2002) foi adaptado para o cinema e para uma minissérie para a TV. Entre outras obras, Martha escreveu um livro infantil Esquisita Como Eu (2004). Como jornalista, escreve crônicas para o jornal Zero Hora e colabora para outras publicações. 

LUISA GEISLER

Dia 30 de junho, às 15h

Palestra no Auditório da Praça da Bandeira

Luisa Dalla Valle Geisler é natural de Canoas. Em 2010, aos 19 anos, ganhou o Prêmio SESC de Literatura na categoria Conto pelo seu livro de estreia, Contos de Mentira, que também foi finalista do Prêmio Jabuti. No ano seguinte, venceu o prêmio de melhor romance com Quiçá. É autora de Luzes de emergência se acenderão automaticamente. Em 2012, foi incluída na antologia Os melhores jovens escritores brasileiros, editada pela revista Granta. Foi a mais jovem autora selecionada para a coleção.

TANIA FAILLACE

Dia 1o de julho, às 16h

Lançamento da obra Beco da Velha no Café Literário

Tania Jamardo Faillace é gaúcha, de Porto Alegre. Tem seis livros ficcionais publicados e participou de mais de 20 antologias de contos brasileiros no Brasil e Exterior. Teve uma peça encenada em 1978, Ivone e Sua Família, por Luciano Alabarse, em Porto Alegre, no Teatro de Arena.  A mesma peça recebeu menção honrosa no concurso do Teatro Opinião, do Rio, sendo objeto de uma leitura dramática naquele teatro, em 1971. Sua temática literária deslocou-se, com o tempo, do intimismo às questões sociais, onde a experiência jornalística foi fundamental. De 1976 a 1994, (com uma interrupção de 5 anos, dedicada às militâncias sociais e políticas do período da pré e pós-democratização), empenhou-se na pesquisa e construção de Beco da Velha, romance épico e popular sobre o período dos anos 70 no Brasil e América Latina.

ANA MARIANO

Dia 7 de julho, às 9h

Palestra no Auditório da Praça da Bandeira sobre o livro Atado de Ervas

Nascida em Porto Alegre, passou a infância no interior de São Borja. Formou-se em direito pela UFRGS. Tem poemas, contos e ensaios publicados em revistas literárias e antologias como Antologia dos contistas bissextos (org. Sergio Faraco. L&PM), 100 Autores que você precisa ler, (org. Léa Masina, L&PM). Publicou em 2006 o livro de poemas Olhos de cadela (L&PM), finalista do Prêmio Açorianos. Em 2011 foi finalista do premio Fato Literário realização do Grupo RBS. Seu romance Atado de ervas (L&PM 2011) foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura – Melhor livro do ano Autor Estreante. Em 2016 está lançando seu segundo romance: Pra amanhecer ontem

MARIA BETHÂNIA

Dia 9 de julho, às 20h

Recital Caderno de Poesias no Teatro do SESC

Maria Bethânia Vianna Telles Velloso, mais conhecida como Maria Bethânia, é cantora e compositora, nascida em Santo Amaro, na Bahia. Ao mudar-se para o Rio de Janeiro, em 1965, iniciou sua carreira musical substituindo a cantora Nara Leão no espetáculo Opinião. No mesmo ano assinou contrato com a gravadora RCA e lançou seu homônimo álbum de estreia. Com cerca de 26 milhões de discos vendidos, é considerada por muitos uma das maiores cantoras da história do Brasil. Entre os muitos prêmios adquiridos ao longo da carreira, foi a maior vencedora do Prêmio da Musica Brasileira, e nos seus 50 anos de carreira, celebrados em 2015, foi a grande homenageada da 26° edição do PMB no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Convidada por uma historiadora a participar de um projeto da Universidade Federal de Minas Gerais em 2009, Bethânia escolheu seus poemas preferidos e declamou para os alunos. Desse evento surgiu a ideia do espetáculo Bethânia e as Palavras, que rodou o Brasil e Portugal. Em 2015 lançou o livro Caderno de Poesias com todas as poesias escolhidas, além de textos de próprio punho. 

SERVIÇO

32a FEIRA DO LIVRO DE CANOAS

De 25 de junho a 9 de julho

Praça da Bandeira e Largo da Praça (Centro – Canoas/ RS)

ENTRADA FRANCA

OUTROS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

Dia 28 de junho, às 10h – Eduardo Bueno (Peninha)

Dia 29 de junho, às 19h30 – Vladimir Safatle

Dia 30 de junho, às 19h30 – Jorge Mautner e Jards Macalé

Dia 1º de julho, às 19h30 – Luiz Gonzaga Belluzzo

Dia 3 de julho, às 16h – Arnaldo Antunes

Dia 4 de julho, às 19h30 – Gonçalo Tavares

Dia 7 de julho, às 19h – Arthur Japin

Dia 7 de julho, às 20h – Benjamin Moser

Dia 8 de julho, às 19h30 – Claudia Tajes e Luis Augusto Fischer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

facebook comments: